Um doce remédio amargo

criança_remedio

Eu sempre fui (ou pelo menos achava que era) muito cuidadosa com as coisas dentro de casa por conta do nascimento do Dudu: materiais de limpeza guardados em armários e inacessíveis, tampas de privadas com lacre, armários trancados, portinha de ferro para impedir passagem, quinas protegidas enfim, o dever de casa de toda mãe. Porém, queridas mamães, vou ter que falar de um assunto que todas nós estamos carecas de saber, mas que infelizmente, tornou hoje, um dos piores dias da minha vida.

Diariamente aqui em casa, eu e o Dudu temos uma rotina mais ou menos pré estabelecida; acordamos eu vou me arrumar, troco a fralda dele, o arrumo, tomamos café e saímos. Como o pequeno está com uma alergia chata, ele está tomando um remédio “x”, que eu aproveito para dar antes de trocar a fraldinha dele já que ele fica deitado.

Pois bem, hoje, eu dei o remédio, e já estava no automático trocando a fralda dele quando eu olho, está o meu filho, feliz da vida, com o remédio (de gotas) na boca, chupando igual a chupeta, detalhe, ele conseguiu tirar a tampa. Na hora eu desesperada, arranquei da mão dele e botei na minha boca para ver a facilidade que líquido saía, e vi que quase não tinha que fazer força.Segunda coisa que fiz, ir na pia e ver quanto do remédio tinha sobrado para ter uma noção do quando ele tinha ingerido: sobraram três gotas. Terceiro passo, ler a bula:

Em caso de superdosagem  recomenda-se observação clínica em hospital com monitoração cardíaca e dos sinais vitais.

Caso a ingestão tenha ocorrido recentemente, pode-se induzir o vômito. Se o paciente tiver dificuldade de vomitar, proceder a lavagem gástrica com solução de cloreto de sódio a 0,45% e em seguida, instituir tratamento sintomático e de apoio.

Pronto, nem preciso dizer que nessa hora eu quase caí pra trás.

Peguei o meu filho (um ano tadinho) levei para o vaso e enfiei o dedo na guéla dele. Nada aconteceu, tentei uma, duas três vezes, de cabeça pra baixo, apertando barriga, até o meu dedo ficar todo mordido e nada. Nessa hora eu já estava com o coração arrasado de além do meu filhinho estar correndo o risco de sabe lá o que, ainda estar, aos olhos dele, sendo agredindo e machucando.

Tentei entrar em contato com a pediatra e nada, peguei o bichinho sem tomar café nem nada, botei no carro e fui ao hospital. E só nessa hora que eu percebi o quanto estava nervosa e tremula, o instinto estava falando mais alto e se duvidar até levei uma multa no caminho.

Chegando no hospital eu mal conseguia me comunicar na recepção, e quando fui para a triagem, o meu coração não aguentou e eu comecei a chorar, graças a Deus o atendimento foi bem rápido e logo ele foi examinado.

Ele teria que fazer exame de sangue (nunca tinha feito tadinho), lavagem gástrica (bota um pouquinho de soro, faz vomitar, mais um pouquinho de soro, faz vomitar e assim vai), ingerir carvão ativado, detalhe, tudo isso através de uma sonda no nariz com ele acordado e um eletrocardiograma acompanhando durante seis horas.

Resumindo, ficou sem comer nada até cinco horas da tarde, precisaram de quatro pessoas, me incluindo, para tentar imobiliza-lo, ele tirou a sonda cinco vezes, e foi muito, muito, muito judiado. E o pior de tudo… sem saber porquê.

Me senti arrasada e a pior mãe do mundo.

Divido isso com vocês juntamento com um pedido de atenção para todas pois, no meio dessa loucura, as enfermeiras me contaram o quanto esse episódio é comum. O remédio que o meu filho tomou é parece ser totalmente inofensivo, não tem tarja e todos nós usamos, mas na verdade, para esses pingos de gente, pode ser fatal. 

E digo mais, mães de dois, todos os exemplos que eu ouvi lá, os filhos mais velhos que tinham tomado, seja xarope sabor abacaxi ou remédio do pai, deram para os irmãos mais novos também! 

A partir de hoje vou seguir a recomendação da médica; guardar todos os remédios em uma caixa com chave.

Anúncios

Como tornar a troca do bebê mais segura

Boa noite mamães! Quando o bebê é pequeno, é muito simples trocar uma fralda, pois eles ainda não conseguem se virar. Porém quando eles crescem, isso se torna uma missão impossível! E como não temos como fugir desta tarefa durante um bom tempo, … Continuar lendo

Como descobri que estava grávida

Me lembro perfeitamente do dia em que descobri que estava finalmente grávida. Comprei até um espumante quando decidimos “abrir as porteiras” para tomarmos quando descobríssemos. Havia retirado o meu DIU a apenas três meses e a ansiedade (comum nessa pessoa) estava enorme. Mas antes de chegar no momento do “positivo”, vou contar um pouco dos sinais que tive de que a hora havia chegado.

Era final de ano eu e o meu marido havíamos decidido viajar de carro para Minas Gerais para passear e ele finalmente conhecer esse estado maravilhoso. A viagem foi tranquila, com paisagens lindas, comidas maravilhosas e lugares incríveis, ficamos mais ou menos uma semana. Voltamos no dia 31 de dezembro a Brasília, e as mudanças já começaram ali, acreditem ou não, eu tive reações instantâneas da gravidez. Depois de um dia inteiro de viajem finalmente chegamos (de noite), e eu estava MORRENDO de fome (1° mudança), eu poderia comer uns 3 pratos, fácil! Mas eu ainda tinha que cozinhar :/! Incrivelmente naquela noite de ano novo eu não quis beber (2° mudança), tomei só um golinho para dar o brinde e fomos dormir relativamente cedo.

Nos dias que seguiram os sintomas continuaram, eu tinha uma fome monstruosa, e acreditem, eu já comia muuuito antes! E sempre tive muito sono, mas o que eu sentia  em relação a isso agora, na verdade não era sono, era um cansaço (3°), uma vontade de não sair da cama. A…outra coisa que eu sempre fui e aumentou um “pouquinho” rs foi a minha manha (4°), já estava entrando na fase pegajosa kkk. A gente… quem não tem teto de vidro que atire a primeira pedra né?!

Passaram as semanas. A menstruação não veio no primeiro dia, calma Manuela, isso é normal. A menstruação não veio no segundo dia; já comecei a tirar onda com o marido, mas acalma que isso é normal. No terceiro dia; eu não tinha mais como tentar ficar calma, mas tentei ser ponderada, quando chegar a uma semana de atraso faço um teste de farmácia. Cinco dias de atraso (isso que eu nunca soube se a minha menstruação era regular ou não pois não ficava a cinco anos) eu comprei o teste de farmácia, obviamente, deu negativo. Já tinha lido que o teste de farmácia precisa de uns dias a mais para conseguir dar o resultado certo, mas para mim, se eu estivesse gravida é claro que ele teria que mostrar… fiquei triste.

Contei ao meu marido que tinha feito o dito cujo e ele me disse para ficar tranquila que logo a menstruação viria. Passou-se mais dias… nadaaaa, e eu já ficando maluca com a minha fome, sono e a possibilidade de estar grávida! Combinamos, daqui a uma semana faço um exame de sangue, ai saio logo dessa agonia.

Mas com cinco dias, pensei, é hoje, se eu estiver quero pegar o meu marido desprevenido, e se não estiver descubro logo. Lá fui eu para a emergência do hospital, converso com o médico que no final da conversa diz: -É… há chances mesmo de você estar grávida. Me encaminhei ao laboratório, entrego o requisição a funcionária que diz na frente de todos: -Teste de gravidez, hoje eu estou com a mão boa, todos os cinco que eu fiz deram positivo! Eu dei aquele sorriso nervoso e fiz o exame que ficaria pronto em algumas horas. Fui para casa, afinal de contas, eu não tinha a necessidade de mostrar ao médico. O resultado só sairia no final da tarde, mas é CLARO que eu entrei mil vezes para ver se já havia saído.

Eu entrei mil vezes, mas não sou louca não! Pois o resultado saiu sim antes da hora! Hehehe Quarenta minutos antes, o que no dia seria uma eternidade! Quando li o resultado demorei uns 15 minutos para ter certeza, pois ele não diz POSITIVO ou NEGATIVO, ele te dá um número que te encaixa em uma condição. Positivo. Positivo, mas a ficha não caiu. Positivo… faz alguma coisa!!! Depois de um tempo consegui reagir e resolvi bolar um bilhete para o pai e botar o espumante para gelar. Fui a um laboratório próximo imprimir o resultado que havia visto na internet e escrevi atrás: 1+1=3 e deixei na cama.

Ele chegou em casa se arrumou calmamente, conversou comigo, saiu do quarto e nada de ler o bilhete… de repente, plin, silêncio na casa… vou para o quarto e vejo a cara dele de interrogação, e eu pensei: -Será que ele não entendeu? E ele não tinha entendido mesmo… kkkk soma de nervosismo com letra feia… E quanto o espumante… eu não bebi pois estava grávida!

Dicas:

  1. Quer encomendar o bebê? Tente relaxar, viajar e quebrar a rotina. Eu não teria conseguido de outra forma!
  2. Não confie tanto no teste de farmácia. Eu nunca vi os tais traços rosas…
  3. Tome um suco de maracujá concentrado enquanto espera o resultado! Haja nervos!!!

 

Para ficar por dentro dos assuntos postados curta a minha página no facebook: www.facebook.com/maenuela